Marília Calderón

Marília Calderón é multiartista, cientista social e psicanalista praticante. Lançou os álbuns de canções autorais: A Saudade é um Vagão Vazio (2020), solo; Na Cachola (2017), com o professor da USP Walter Garcia; Teko Porã (2016), com a banda de rua Teko Porã, além de diversos singles, e atualmente integra a banda Musicircus. Bacharel em Ciências Sociais pela USP, atriz formada pelo INDAC, cursou Formação para Músicos Educadores no ESPAÇO MUSICAL, faz Pós-graduação em Canção Popular pela FASM e atividades formativas em escuta e psicanálise em espaços como Fórum do Campo Lacaniano, Coletivo Margens Clínicas, Projeto Pluralidades e Mutabis. Coordena o espaço de estudos Canção no Divã, atende como psicanalista na Clínica Pluralidades, voltada para mulheres e pessoas LGBTQIA+, e ministra cursos como “Canção e Psicanálise – oficina de criação”, realizado em SESCs e outros espaços. Em 2020 venceu, na Mostra Curta em Casa, o prêmio Melhor Filme Júri Popular pelo Curta-Show A Saudade é Um Vagão Vazio, realizado pelo edital SescConVIDA.


Iniciou sua causa musical em 2011, participando do Projeto Outras Noites, em homenagem à Era dos Festivais, no qual representou Nara Leão e apresentou pela primeira vez canções de sua autoria. De lá para cá, tem participado, com seu trabalho autoral, de editais, festivais e ocupações, como o projeto Biblioteca Viva, pela prefeitura de São Paulo, o Primeiro Festival de Música Urbana, o TEDx São Paulo Educação, o Festival Artistas de Rua, a Ocupação Magdalena na Vila Itororó Canteiro Aberto, o edital SescConVIDA, entre outros, apresentando-se em diversos espaços públicos da cidade, além de Centros Culturais, ONGs, SESCs, CEUs e Escolas.
Como atriz, atuou, tocou e cantou em diversas companhias teatrais, como Cia Articularte, Cia do Latão, Cia Rubra, Trupe Pé de Histórias, Cia Cambaio, Cia Os Mamulengos, Cia Pirata, Cia do Núcleo, entre outras. Como poeta, integra o coletivo Neomarginais.

Marília Calderón por Malu Freire